Buscar
  • Prof. Raphael Marinho

NOVAS DIRETRIZES de RCP 2020 - AHA













Foi publicado dia 21.10.2020 as Diretrizes de 2020 da American Heart Association (AHA) para ressuscitação cardiopulmonar (RCP) e atendimento cardiovascular de emergência (ACE).


Destacamos aqui 10 pontos importantes do Suporte Básico e Avançado de Vida para Adultos que todo Emergencista e Intensivista precisa saber!


1- "As recomendações anteriores sobre a administração de epinefrina foram reafirmadas, com ênfase em sua administração mais precoce!" - Nas diretrizes anteriores recomendava-se iniciar adrenalina após 2 min. nos ritmos não chocáveis e após o 2º choque nos rítmos chocáveis. Então o que mudou? Mudou para os ritmos NÃO CHOCÁVEIS. Nesses ritmos (assistolia e AESP) é aceitável administrar a epinefrina assim que for possível! Para os ritmos chocáveis (FV e TVsp) permanece a recomendação após o 2º choque.


2- "O uso de dispositivos de feedback visual em tempo real é recomendado como forma de manter a qualidade da RCP". Dispositivos de feedback visual são equipamentos que permitem avaliar durante a RCP basicamente a frequência de compressão (que deve ser entre 100 -120 cpm) e a profundidade de compressão (pelo menos 5 cm).


3- "Mensurar continuamente a pressão arterial sanguínea e o teor de dióxido de carbono ao final da expiração (ETCO2) durante a ressuscitação de SAVC pode ser útil para melhorar a qualidade da RCP." Já era uma recomendação na Diretriz anterior (2015) mas veio com importante destaque. Na PCR a monitorização da pressão arterial durante a compressão resume-se em avaliar a PRESSÃO DIASTÓLICA em pacientes monitorizados com linha arterial invasiva. O alvo é manter uma pressão diastólica > 20mm/hg. A (ETCO2) durante a PCR convém manter pelo menos 10 mm/Hg e, como ideal, 20 mm/Hg ou mais. Ambos úteis para monitorizar e otimizar a qualidade da RCP. Dados do registro Get With The Guidelines®-Resuscitation da AHA mostram uma probabilidade maior de RCE quando a qualidade da RCP é monitorada usando ETCO ou pressão arterial diastólica invasiva.


4- "O uso rotineiro de dupla desfibrilação sequencial (prática de aplicar choques quase

simultâneos usando dois desfibriladores) não é recomendado." Uma revisão sistemática do ILCOR 2020 não descobriu evidências para corroborar a desfibrilação sequencial dupla e recomendá-la, em detrimento do choque único. Portanto, não se reconhece a desfibrilação sequencial dupla como benéfica.


5- "O acesso intravenoso (IV) é a via preferida de administração de medicação durante a ressuscitação no SAVC. Acesso intraósseo (IO) é aceitável se o acesso IV não estiver disponível." . Apesar de ser um destaque é a mesma recomendação da Diretriz de 2015.



Conheça o NURSEFLIX! A maior e melhor plataforma de ensino e aprendizagem de ENFERMAGEM do BRASIL com foco para a prática clínica do Enfermeiro!


ACESSE AGORA: www.nurseflix.com.br



6- "O atendimento do paciente após o retorno da circulação espontânea (RCE) requer muita atenção à oxigenação, controle da pressão arterial, avaliação da intervenção coronária percutânea, controle direcionado de temperatura e neuroprognóstico multimodal." . A Nova Diretriz reforça a importância dos cuidados pós PCR - A ETCO com forma de onda no pós PCR é um cuidado a mais para identificação do posicionamento do tubo endotraqueal e monitorização ventilatória; Ajustes ventilatórios iniciais são necessários! Titular FiO2 para manter uma saturação alvo de 92 - 98%; Iniciar frequência respiratória (FR) com 10 ventilações/minuto titulando-a para manter PaCO2 entre 35-45 mm/Hg e MANTER VENTILAÇÃO PROTETORA!. No controle hemodinâmico manteve-se a recomendação de pressão arterial média (PAM) > 65mm/hg ou pressão arterial sistólica > 90 mm/Hg, podendo ser utilizado cristalóides e/ou drogas vasopressoras ou inotrópicas.; Intervenção coronária percutânea deve ser considerada em situações que: IAMST no ECG de 12 derivações, choque cardiogênico instável e necessidade de suporte circulatório mecânico; Se o paciente estiver não responsivo iniciar o controle direcionado de temperatura (CDT) pelo menos por 24h em temperatura alvo entre 32 - 36ºC, neste ponto a AHA orienta agora utilizar dispositivo de resfriamento com loop de feedback.


7- "A reabilitação pós PCR continua muito tempo depois da hospitalização inicial, os pacientes devem ter avaliação e suporte formais para suas necessidades físicas, cognitivas e psicossociais.". O cuidado com o doente em PCR não finaliza com o retorno da circulação espontânea! Pelo contrário, o cuidado imediato pós PCR é fundamental para a recuperação do doente, no entanto outros cuidados posteriores também são fundamentais para o retorno do indivíduo ao convívio social, por isso a AHA recomenda que os sobreviventes de PCR tenham avaliação de reabilitação multimodal e tratamento para prejuízos fisiológicos, neurológicos e cognitivos antes da alta do hospital. Contudo, a CADEIA DE SOBREVIVÊNCIA ganhou mais um elo - A RECUPERAÇÃO!



8- "O tratamento da PCR na gravidez é focado em ressuscitação maternal, com a preparação para uma cesariana de emergência, se necessário, para salvar o bebê e melhorar as chances de ressuscitação bem-sucedida da mãe". Como as pacientes grávidas são mais propensas à hipóxia, a oxigenação e o manejo da via aérea devem ser priorizados durante a ressuscitação de uma PCR durante a gravidez. A prioridade é executar a RCP de alta qualidade e alívio da compressão aortocaval , com deslocamento do útero para lateral. Se não houver retorno da circulação espontânea em 5 minutos de parada, idealmente a cesárea deve ser realizada (dependendo dos recursos e experiência do profissional).


9- "Dois novos algoritmos para emergência associada a opioides foram adicionados para socorristas leigos e socorristas treinados" A diretriz trouxe um destaque especial para o uso da NALOXONA (Droga antagonista dos opióides) no atendimento incial tanto para o uso de leigos, quanto para profissionais.


10- "Outras recomendações no PÓS PCR:" Monitoramento contínuo da temperatura central (através de termômetro esofágico, retal ou bexiga); Manutenção de normoxia (PO2, SO2), normocapnia (PCO2) e euglicemia; Monitoramento contínuo ou intermitente por Eletroencefalograma (EEG)


FONTE: Diretrizes de 2020 da American Heart Association (AHA) para ressuscitação

cardiopulmonar (RCP) e atendimento cardiovascular de emergência (ACE).


BAIXE AQUI OS DESTAQUES DAS DIRETRIZES DE RCP E ACE da AHA 2020

Hghlghts_2020ECCGuidelines_Portuguese Br
.
Download • 36.38MB

Conheça o NURSEFLIX! A maior e melhor plataforma de ensino e aprendizagem de ENFERMAGEM do BRASIL com foco para a prática clínica do Enfermeiro!


ACESSE AGORA: www.nurseflix.com.br

1,419 visualizações
INSTITUTO ENFERMAGEM AVANÇADA
CURSOS - TREINAMENTOS - SIMULAÇÃO

CNPJ: 33.165.140/0001-79

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

Instituto Enfermagem Avançada | © 2019